Google

Vendo, vendo, vendo e não “vejo o dinheiro”.

por

Onde está o erro?

Vendo e não vejo o dinheiro

Na edição anterior da Revista ABCFARMA chamamos a atenção dos leitores para as três variáveis que influenciam o lucro da farmácia: as despesas, os descontos e o custo da mercadoria vendida (CMV). Na oportunidade, expusemos um Demonstrativo de Lucros e Perdas (DLP) que permite mensurar tais dados financeiros, para que possamos projetar o potencial máximo de lucro da farmácia.

O Demonstrativo de Lucros e Perdas (DLP) permite projetar as receitas e despesas do negócio para mensurar o seu LUCRO, mas tudo isto será em vão se o LUCRO PROJETADO não se refletir em dinheiro no caixa.

Para visualizar este DINHEIRO, utilizamos o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), que mostra se o gestor da farmácia está conseguindo reproduzir no Fluxo de Caixa o Lucro Operacional projetado no DLP.

Aí é que começa grande parte dos problemas que muitas farmácias enfrentam.

Há vários anos ministrando cursos e prestando consultorias para milhares de empresários de farmácias em todo o Brasil, identificamos que boa parte deles não consegue controlar com precisão o seu Fluxo de Caixa. Tal deficiência decorre em função dos seguintes fatores:

    • Deficiência na alimentação dos dados de entradas e saídas no sistema de vendas.
    • Ausência de controle financeiro, principalmente de um método padrão para sua aplicação.
    • Inexistência de um gerenciador financeiro automatizado, requisito fundamental nos dias atuais para quem precisa de agilidade e precisão na execução das tarefas de conciliar a movimentação bancária com o fluxo de caixa.

Interessante observar que, ainda que alguns softwares desenvolvidos para varejo farmacêutico prometam a função GERENCIADOR FINANCEIRO em seus sistemas, a maioria das farmácias e drogarias do varejo independente não utiliza essa função na sua plenitude. Tais problemas decorrem de falhas na concepção do software para tais funções e por falta de método de controle por parte das farmácias usuárias do sistema.

ATRIBUIÇÕES DO SETOR FINANCEIRO

O Setor Financeiro é encarregado de acompanhar os saldos das Contas Bancárias da farmácia, e realizar todos os pagamentos de despesas e fornecedores.

Para realizar o acompanhamento das contas correntes bancárias da farmácia, o administrador deverá utilizar um “Gerenciador Financeiro” informatizado, que oferece mais precisão e agilidade na tarefa.

Através desse programa, será possível determinar:

    • Dinâmica Financeira (ou Projeção de Fluxo de Caixa);
    • Agendar contas a pagar em gerenciador financeiro;
    • Previsão das despesas;
    • Previsão das compras de fornecedores.

Segue abaixo um modelo Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC):

Quando olhamos para o Demonstrativo de Fluxo de Caixa – DFC e o comparamos com o DLP mostrado  na edição de outubro desta revista, verificamos que uma coisa é a venda líquida gerada pela farmácia, outra é receita líquida financeira obtida.

Diferentemente da venda líquida, a receita líquida financeira é a soma de todas as vendas à vista mais os recebimentos oriundos das vendas a prazo.

O Fluxo de Caixa indica os recebimentos e os pagamentos a serem realizados e apura o saldo disponível de caixa na data efetiva do recebimento ou pagamento.

Uma farmácia organizada não pode prescindir jamais de um controle financeiro eficiente.

Dicas para controlar melhorar seu fluxo de caixa:

    • Seja disciplinado e organizado;
    • Seja implacável na alimentação dos dados financeiros. Não se conforme com lançamentos feitos pela metade. Não admita erros e discordâncias de valores e exija de seus colaboradores cumprimento aos procedimentos;
    • Estabeleça procedimentos diários, semanais e mensais para os controles de caixa, conta corrente, contas a receber e a pagar;
    • Para finalizar, lembramos que nem sempre um excelente volume de vendas mensais justifica comemoração se eles não se refletirem em resultados econômicos.

Cadri Awad é Diretor de Cursos do Instituto Bulla, Farmacêutico com Habilitação em Farmácia Industrial, MBA em Gestão Avançada de Varejo Farmacêutico e cursando MBA Executivo em Liderança e Gestão Empresarial. Viajando por todo o Brasil, Cadri já qualificou mais de 5000 empresários de Pequenas e Médias Drogarias para a aplicação da metodologia avançada de Gestão Farma.

10 Comments to Vendo, vendo, vendo e não “vejo o dinheiro”.

Gostou? Deixe seu comentário aqui.

    • José Antônio, agradeço sua participação e comentário. Acreditamos no varejo farmacêutico e estamos muito felizes com os resultados positivos que muitos farmacêuticos e farmacistas estão colhendo. Valeu e continue conosco neste canal.

    • Isidio,
      Fico feliz que tenha gostado da nossa proposta e conte conosco para ajuda-lo a aplica-la na integra em sua farmácia. Teremos um ano de muitas novidades e oportunidades. Valeu e um grande abraço!

  1. Fiz a consultoria com o Instituto Bulla,em 2013.
    Obtive excelentes resultados,com a gestão financeira,que faço todos os meses.
    Ficaram algumas dúvidas,principalmente com relação aos descontos permitidos,o que acho que é m grande desafio.
    Espero ver,em breve,matérias relacionadas a este assunto.
    Margareth.

    • Margareth,

      Lembre-se sempre que quando o assunto é desconto, o grande desafio é saber definir o desconto médio que sua farmácia suporta. Para isto, deve-se observar no DLP qual o percentual das despesas e CMV em relação a venda bruta e quanto é o lucro operacional apurado atualmente com o desconto médio praticado. Saber distribuir os descontos entre os grupos de descontos é a chave para se obter a melhor percepção de preços e potencializar os resultados.

      No Programa Bulla Fórmula GF que estamos lançando no final de abril haverá um módulo que tratará de forma muito clara o passo a passo da precificação e como aplicar os descontos de forma correta. Vamos mostrar várias estratégias de sucesso que podem ser adotadas em sua farmácia. Fique atenta que em breve teremos todo este conteúdo Online.

  2. Jaqueline Padilha

    Gostei muito das dicas.
    Gostaria de saber custo para fazer uma restruturação na empresa,e qual o tempo da consultoria,avaliação, e acompanhamento, para que possamos chegar nestas metas

    • Jaqueline,

      Entre em contato o Senhor Antônio Sahium: antonio@instituto bulla ou 62 3932-4140. Para fazer a reestruturação ele lhe pedirá alguns dados para formular uma proposta que esteja a altura de sua expectativa e para que saibamos mensurar tempo.

      Outra grande novidade é lançamento do Programa Bulla Fórmula GF, ou seja, não é um mero curso online e sim uma verdadeira plataforma para implantação do Méotodo Bulla onde ensinamos em 8 passos como implantar a Fórmula Gestão Farma em sua farmácia.