Google

Terceiro Passo – Fórmula Bulla

por

Organização do Estoque da Farmácia

Agora que Você já está apto a obter os dados financeiros da sua farmácia para análise dos resultados e tomada de decisões.

Agora que Você já implantou o gerenciador financeiro e instituiu os protocolos e procedimentos para controle do dinheiro que entra e sai da sua farmácia, continuaremos nossa jornada pela organização do nosso negócio rumo ao terceiro passo entrando agora no Setor de Estoque.

O Estoque é um dos mais importantes setores de uma farmácia e, sem dúvida alguma, um dos fatores críticos de sucesso de uma boa gestão, pois, um estoque mal dimensionado é responsável por grandes prejuízos a organização.

Um estoque alto demais é danoso ao fluxo de caixa da empresa e um estoque baixo demais compromete a venda, ou seja, impede a empresa de crescer, pois, ocorrem as chamadas rupturas (incapacidade de atender à demanda dos clientes), e a consequência disto é a estagnação do faturamento da farmácia.

Encerrado este trabalho Você acaba de cumprir o passo 3 e está preparado para seguir adiante.

Aguardo Você no Passo 4 e desejo sucesso na implementação da Fórmula Bulla de Gestão Farma.

Se gostou desse artigo, deixe seu comentário abaixo. Terei o maior prazer em ler e responder a todos.

Cadri Awad é Diretor de Cursos do Instituto Bulla, Farmacêutico com Habilitação em Farmácia Industrial, MBA em Gestão Avançada de Varejo Farmacêutico e cursando MBA Executivo em Liderança e Gestão Empresarial. Viajando por todo o Brasil, Cadri já qualificou mais de 5000 empresários de Pequenas e Médias Drogarias para a aplicação da metodologia avançada de Gestão Farma.

20 Comments to Terceiro Passo – Fórmula Bulla

Gostou? Deixe seu comentário aqui.

  1. É muito fácil compreender e obter dados do estoque mínimo e máximo de itens como medicamentos éticos e alguns produtos de perfumaria.
    Mas e quando se trata de um medicamento genérico ou similar, que nem sempre são dos mesmos laboratorios que vendiamos no mes passado, esses dados ficam comprometidos. Os softwares nao estao adaptados para estabelecer o estoque máximo e mínimo por substância.
    Isso dificulta a plena utilização do controle via software.
    Pra esses casos, o controle manual tem até mais aplicabilidade.

    • Vinícius,
      O problema que Você cita em relação aos medicamentos genéricos e similares acontece em muitas farmácias do varejo independente e ocorre por causa da ausência de “fidelização” e “seleção de mix” para produtos do Grupo Similares e Genéricos.
      Dentro desta afirmativa, sugiro que faça a seleção do seu MIX DE PRODUTOS dos Grupos de Medicamentos Similares e Genéricos. Estabeleça em seguida os Estoques Reguladores e siga com a sua reposição conforme a venda. Os produtos que não pertencem a seleção do MIX, serão repostos apenas para “procura espontânea”, o que representa normalmente de 1 a 3% das vendas destes dois grupos mencionados.
      Devo lembrar ainda que as compras destes dois Grupos são os grandes responsáveis por fazer as farmácias estourarem sua Dotação Orçamentária de Compras e estrangular o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC). É preciso técnica e disciplina para promover a reposição da mercadoria vendida sem afetar o fluxo de caixa.
      Quando Você fala em estabelecer estoque mínimo e máximo pela composição (princípios ativos), afirmamos que isto não tem aplicação prática, pela simples razão de que dois produtos de marcas diferentes e mesmo sal (principio ativo) podem ocupar preferencias distintas e possuem vendas semelhantes. Neste caso, deixar de ter algum deles, causaria o fenômeno da “ruptura” de estoque e consequentemente perda de faturamento.
      O melhor a fazer seria mesmo seguir a nossa sugestão de aula: Confeccionar as Listas de Indicação e Substituição, para em seguida selecionar o Mix de Produtos a ser trabalhado. Utilizar o método do Estoque Regulador (mínimo e máximo) mais elástico para este MIX selecionado e um Estoque Regulador mais estreito para os produtos de “procura espontânea”. Um grande abraço e sucesso!

  2. Gostei!!!! Levando-se em conta que eu recebo a mercadorias das distribuidoras no prazo de 1 dia…Então pergunto. Qual seria os dias de estoque que vc me sugere para os produtos da curva A/B/C?
    Parabéns pelo curso e pelo blog…..

    • Maurício, o número de dias de reposição precisa considerar o TEMPO QUE LEVARÁ A REPOSIÇÃO DO PRODUTO e não as Curvas de Venda (A/B/C). Você deve compor uma Tabela considerando o tempo que levará a reposição da mercadoria, mesmo em um feriado prolongado. Sendo assim, sugiro que as categorias Perfumarias, Similares e Genéricos tenham um número de dias maior, pois, normalmente levam mais tempo para repor (em função dos pedidos atrasarem muito). Já a logística de medicamentos de Receituários (ditos “éticos”) é melhor e mais elaborada, o que demanda menor número de dias de estocagem. Tudo depende da logística de reposição. É aí que entra o famoso conceito: Just in time!! O melhor é ter o menor estoque e repor com agilidade. Obs.: Tais considerações devem ser adaptadas de acordo com a região que a farmácia está sediada, diversidade de fornecedores, distância e tempo de atendimento.

    • Manoel, a farmácia é um negócio onde fazemos compras diariamente e dependendo da cidade, região e características do mercado (distância e quantidade de fornecedores) Você pode ter a reposição feita em questões de horas, o que muitas vezes nos aproxima cada vez mais do conceito “Just in Time”. Não podemos simplesmente instituir um número de dias para estocagem, pois, é preciso analisar as característica do seu mercado e o seu perfil de venda por grupo de produtos.

      É preciso analisar sempre é o tempo de reposição do fornecedor para instituir a quantidade de dias que devemos manter de um determinado produto.

    • Olá Gilvan,
      Falou e disse. E o mercado nos cobrará cada vez mais profissionalismo e técnicas. Não adianta reclamar da concorrência, pois, o controle que temos de fato é do que acontece dentro da nossa empresa. É preciso observar a concorrência e entender o mercado, mas de nada adianta isto, se não tivermos controle do que acontece em nossas farmácias. Abraços!

  3. Só quero dar os parabéns à vcs e dizer que acompanho o trabalho que vcs vem desenvolvendo ha algum tempo. Fiz alguns cursos presenciais e estou gostando muito de receber estas dicas apesar de me peguntar as vezes- tanta capacitação, tanto esforço, tanta burocracia, tantas horas dedicadas e não vejo grandes perspectivas de crescimento. Será que vale a pena?

    • Fernanda,
      Não podemos negar que o varejo farmacêutico vem passando por um momento perturbador para o pequeno e médio empresário, mas é inegável que muitos vem crescendo neste mercado a taxas até mesmo acima da média de mercado. Neste momento é que vemos com clareza como o conhecimento, a capacitação e inquietude fazem a valer a pena estar neste segmento. Por todo o Brasil temos visto muitos farmacêuticos e farmacistas felizes e satisfeitos com suas farmácias e tudo isto se deve a qualificação e profissionalismo. Acredite que tudo valerá a pena com certeza.

  4. gilmar esteves

    Cada artigo que consta no ambiente farma se seguido, nos leva a um patamar superior e se seguir a fórmula bula nem se fala, por isso obrigado por nos ajudar a sempre a enxergar o que muitas vezes esta em nossa frente e não conseguimos ver.

    • Gilmar,
      Depoimentos como este seu nos emociona e nos traz uma enorme paz no coração, pois, não tem recompensa maior do que ver os gestores que participaram de nossos cursos ou buscaram consultorias obter resultados através do conteúdo e conhecimento que disponibilizamos. Sucesso amigo e continue conosco aqui neste canal. Estamos produzindo mais conteúdos que em breve serão postados.

  5. Boa Noite,
    Gostaria de saber qual é o valor total em reais de estoque ideal para uma drogaria que apresenta uma venda bruta de 105 mil/mês (sem abatimento de descontos) e 90 (contando os descontos) para que não ocorra perda de vendas. Obrigado!

    • Eduardo,
      Caso a drogaria em questão seja de perfil tradicional, ou seja, composta por mix de produtos de uma drogaria convencional, o estoque ideal a ser mantido para uma venda bruta de R$ 105.000,00 é de R$ 160.000,00 (estoque a preço de custo real, ou seja, já computado o desconto do fornecedor). Neste cálculo não está incluso a composição com o valor do ICMS S.T.

    • Fábio, não temos um curso isolado sobre gestão do setor de estoque, até mesmo porque não acreditamos em soluções isoladas e descontextualizadas do restantes dos processos da farmácia ou drogaria. Não dá para falar de estoque, sem entrar em C.M.V., Dotação orçamentária, problemas com informática, dinâmica financeira e até mesmo processos de compra. Aí sim, podemos falar sobre o estoque ideal, formação do ponto de pedido e como tratar as diferenças de balanço, auditagem dos erros e como tratar tais diferenças. O Instituto Bulla dispõe de um curso presencial e de um curso online onde mostramos tudo isto. O curso Online pode ser conhecido através deste link: cursos.institutobulla.com.br