Google

O Destino Correto do Dinheiro da Farmácia

por

São apenas 2 os destinos corretos de todo o fluxo de dinheiro gerado na farmácia. E o que talvez possa te deixar mais intrigado, é que os sócios não são um desses destinos. Então se não são os sócios, quais serão esses destinos? Assista ao vídeo que eu conto tudo.

Gostou desse conteúdo?

Tem alguma dúvida?

Comente aqui embaixo e vamos conversar.

Compartilhe e curta nas redes sociais.

Cadri Awad é Diretor de Cursos do Instituto Bulla, Farmacêutico com Habilitação em Farmácia Industrial, MBA em Gestão Avançada de Varejo Farmacêutico e cursando MBA Executivo em Liderança e Gestão Empresarial. Viajando por todo o Brasil, Cadri já qualificou mais de 5000 empresários de Pequenas e Médias Drogarias para a aplicação da metodologia avançada de Gestão Farma.

32 Comments to O Destino Correto do Dinheiro da Farmácia

Gostou? Deixe seu comentário aqui.

  1. Olá Cadri, Comprei uma sala comercial e pago a parcela com uma parte do dinheiro da farmácia, o que isso pode representar neste contexto ?

    agradeço
    att
    Emanuel

    • Emanuel,
      Se a sala comercial adquirida é um investimento da sua pessoa física, portanto, o pagamento da parcela deve ser feito com dinheiro do seu Pró-labore. A farmácia lhe remunera e com o dinheiro do Pró=labore é que Você paga a referida parcela. O Pró-labore é sempre um valor fixo por mês, assim como o salário de seus colaboradores. Um grande abraço!

  2. Cadri, boa tarde.

    Concordo plenamente com a afirmação que o proprietário deve ter um pró-labore e o respeitar.

    Agora pergunto: Como você atribui o valor de pró-labore justo para o farmacista?

    Agradeço antecipadamente

    • Marco,
      Em primeiro lugar o Pró-labore deve ser um valor justo e condizente para com o faturamento da empresa. Você deve analisar primeiramente os valores de todas as despesas fixas e variáveis existentes em sua empresa. Normalmente uma drogaria de perfil tradicional e convencional esboça despesas totais (fixas e variáveis) representando entre 22 e 28% da sua venda bruta. Analise se depois de considerar todas as despesas obrigatórias da sua empresa, quanto sobra para Você destinar de Pró-labore sem comprometer o percentual médio aqui apresentado de quanto as despesas podem representar sobre a venda bruta da sua farmácia. Um Pró-labore deve ser condizente com as atividades que Você desempenha em sua empresa e com o que o mercado remunera gestores para atividades de supervisão e gestão do negócio.Portanto, verifique qual o percentual que todas as suas despesas fixas e variáveis somadas representam da sua venda e veja quanto sobra para determinar como pró-labore sem afetar os parâmetros admissíveis.

  3. Obrigado prof. Cadri por mais esta aula de como lhe dar com o nosso R$. Atitude que no fundo até sabemos, mas não colocamos em prática, obrigado por vc esta conosco p/ abrir nossos olhos do que está a nossa frente.

    • Gilmar,
      Nada é mais gratificante para nós do que perceber que o fruto deste trabalho é a melhoria continua dos resultados que Vocês auferem dele. Depoimentos como o seu só me motiva a melhorar a cada dia e produzir mais conteúdos que possam enriquecer o dia a dia de todos Vocês. Um grande abraço!

    • Adelmo,
      Ficamos muito felizes em saber que estes posts que estamos produzindo sejam produtivos e úteis. Estamos produzindo muitos conteúdos nos próximos dias, portanto, continue participando. Abraços!

  4. Rubens Gama Ribeiro CRF-Ce 1926

    Olá Colega CADRI!

    Essa dica é muito importante! Eu, a algum tempo atrás, já corrigi essa “DISTORÇÃO” no meu negócio!
    Hoje mantenho o meu padrão de vida baseado na RETIRADA que faço mensalmente.

    Obrigado, mais uma vez pela oportunidade de interagir e aprender com vc!!!

    Um grande abraço,

    Rubens Gama – CRF-Ce 1926

    • Olá Rubens!
      Agradecemos por participar conosco neste canal e contribuir com a experiência e implementação de tais mudanças que mostram que com técnica e determinação é possível mudar o rumo dos nossos negócios para melhor. Abraço amigo!

  5. Amei, faço totalmente errado não tenho o pro-labore. Não tenho sócio, quantos por cento tenho que tira de pro-labore? existe um calculo para definir este valor de pro-labore?

    • Silvana,
      O valor de pro-labore precisa ser compatível com a receita da farmácia e o seu porte. Reflita uma coisa: Quanto sua farmácia teria condições de pagar para um terceiro administra-la? Quanto um bom gestor ganha neste mercado para um estabelecimento do porte da sua empresa?
      Para definir o percentual observe primeiramente quantos porcento as despesas fixas e variáveis somadas estão representando da sua venda total e analise que percentual daria para Você retirar de pró-labore sem afetar o peso máximo que as despesas totais podem representar da sua venda.
      Avalie desta forma e com certeza Você chegará ao percentual correto. Lembre-se que precisa ter um demonstrativo de Lucros e Perdas em mãos para fazer esta análise.
      Espero ter ajudado e sucesso!

  6. Obrigado, era tudo que eu precisava ouvir, pois por mais que eu saiba , continuo , desfalcando o caixa diariamente com minhas contas. não consegui em 8 anos , ate hoje tirar meu pro labore integral.

    • Roberta,
      Controlar o dinheiro que entra e sai de nossa farmácia exige disciplina e método. Fico feliz que tenha gostado e continue nos acompanhando que virão por aí muitas dicas úteis para buscarmos resultados satisfatórios.

  7. Cadri vejo muito histórias de colegas do ramo que compram imóveis ou constroem, fazendo retirada do caixa da farmácia, isso muitas vezes reflete de forma negativa por alguns meses, como atrasos com pagamentos a fornecedores e até mesmo aos seus colaboradores.

    • Wiltemaia, tudo isto comprova que é preciso investir em profissionalização. Os proprietários de farmácia não podem mais agir no empirismo. Valeu amigo e excelentes as colocações que fez aqui. Obrigado!

  8. Wilker,
    Acreditamos no Crediário como estratégia para aumentar o número clientes atendidos e elevar o Ticket médio da farmácia, além de ser uma excelente ferramenta de fidelização de clientes quando bem utilizada, no entanto, é preciso adotar Técnicas de Concessão de Crédito. Crediário não se bloqueia, não se corta e sim, se controla. O primeiro passo para ter sucesso com o crediário é admitir que Você terá atrasos e inadimplência. A verdade é que devemos administrar o crediário prevendo que haverá sim atrasos e inadimplência, entretanto, existem técnicas para manter a inadimplência em níveis máximos admissíveis. Ao fazer isto projetamos a mesma em nossos Demonstrativos de Lucros e Perdas e Fluxo de Caixa para medir o impacto dos índices de inadimplência em nossos resultados financeiros. É preciso implantar um lastro de inadimplência (seguro, fundo), implantar um protocolo de cobrança constituído em três fases (preâmbulo, cobrança propriamente dita e inadimplência) e por último implantar o método dos 5 filtros para aprovar as fichas de crédito dos clientes. A metodologia dos 5 filtros permite a Você reduzir os riscos decorrentes da inadimplência e mante-las em níveis admissíveis. Sobre o modelo popular de drogarias é preciso sempre analisar o perfil da região que Você atua para decidir pela adoção do mesmo, mas pode sim ser uma opção dependendo do posicionamento que Você tem atualmente e do quão se comporta a concorrência na sua área de atuação. Obrigado por nos acompanhar e espero que as dicas dadas contribuam com melhores resultados para o seu negócio.

  9. Que bom que gostou Wiltemaia e tudo que Você falou é a mais pura verdade. Apesar de sabermos que é preciso separar a pessoa física da pessoa jurídica ainda é muito comum a falta de discernimento na forma de tratar o dinheiro que entra e sai da empresa. Valeu amigo e continue conosco que teremos em breve muitos outros vídeos.

  10. Ótimo Cadri, Muito bom o vídeo. NA contabilidade isso se chama “PRINCÍPIO DA ENTIDADE”, não ha ligação do patrimônio dos sócios com o Patrimônio da Entidade. O dinheiro que entra na farmácia pertence a empresa, são coisas distintas, tem que haver uma diferenciação da pessoa Física com a Pessoa Jurídica, o gestor tem que contemplar com o Pro-Labore e não misturar as coisas.

    • Olá amigo Fausto, obrigado por sua contribuição e participação. Suas colocações são fundamentais, pois, a ausência destes princípios de fato comprometem o controle das empresas e levam a interpretação equivocada dos resultados. Um grande abraço!

  11. Milton Dias dos Santos

    Perfeito seu comentário, é exatamente isso que todo empresário de qualquer ramo de atividade deve fazer, mas infelizmente sabemos que não é assim que ocorre, e por este motivo tem muita empresa com problemas financeiros.
    Separar a Pessoa Jurídica da Pessoa Física é o que todo empresário deveria saber antes de abrir uma empresa.

    • Milton, Você falou uma grande verdade e muitos se negam a acreditar que grande parte dos problemas que tornam sua farmácias inviáveis reside exatamente no setor financeiro. É por esta razão que o Instituto Bulla investe pesadamente em técnicas e métodos voltados para a gestão financeira e administrativa da farmácia. Isto não nos exime de aperfeiçoar as ações estratégicas voltadas para atendimento, serviços, layout de loja, marketing e merchandising e outros, mas temos que reconhecer que a base de tudo está em controlar o fluxo de dinheiro da empresa. Obrigado por sua contribuição e continue participando conosco. Um grande abraço!

  12. oi bom dia..
    Sou sócia farmacêutica de uma farmácia comercial e gostaria de saber se minha anuidade de farmacêutica deve ser paga por mim pessoa física ou pela farmácia?
    aguardo

    • Emiliana, Você deve pagar as duas anuidades, pois, uma, é da sua pessoa física de farmacêutica e a outra é da pessoa jurídica, ou seja, da farmácia. Os princípios que regem a Administração de Empresas nos ensina sempre que não podemos confundir jamais a PESSOA FÍSICA com a PESSOA JURÍDICA. Cada uma delas tem suas obrigações.

  13. Então, conheci você Cadri em Chapecó, através do CRF-SC , em uma palestra sobre gestão em Farmácias, e desde lá sempre penso que preciso melhorar muitas coisas na minha farmácia, na questão de administração. Ta quase tudo errado.
    Inclusive sobre o vídeo que acabei de assistir, porque não tenho meu pro-labore, faço a retirada conforme preciso e isso não esta correto.
    Preciso ASSISTIR MAIS VÍDEOS E claro colocá-los em prática.
    Obrigada

    • Simone, a correta determinação do valor a ser destinado a título de Pró-labore é fundamental, pois, somente assim poderá analisar os demonstrativos financeiros e concluir qual o peso que as despesas totais representam sobre sua venda. Todas as despesas precisam ter uma dotação orçamentária definida para que Você possa sempre se basear na dotação para mantê-las dentro dos parâmetros admissíveis. Obrigado por seu Feedback.

    • Ana Paula, todos nós por mais experientes que sejamos, precisamos sempre ouvir isto. É sempre tentador ver o dinheiro ali disponível e utilizar o caminho mais curto para resolver as pendências do dia-a-dia. O grande problema é que nem sempre o caminho mais curto é o mais correto. Fico feliz que tenha gostado das dicas. Um grande abraço!