Google

Me formei, e agora?

por

O que o estudante pode esperar do mercado e o que o mercado deve esperar do recém-formado em Farmácia.

Me formei. E agora?

Noventa por cento dos estudantes de Farmácia são absorvidos, assim que formados, pelo varejo farmacêutico brasileiro. No entanto, lá se foi o tempo em que farmácias e drogarias contratavam esses profissionais apenas para controlar os psicotrópicos e zelar pelo cumprimento das exigências sanitárias pertinentes a esse segmento. O mercado exige hoje um farmacêutico menos tecnicismo e com mais conhecimentos na área de negócios. Por se tratar de uma profissão simbólica na área da saúde, durante muitos anos a formação técnica do farmacêutico não contemplou a necessidade de disciplinas voltadas para as áreas da administração farmacêutica na grade curricular – e isso impediu com que muitos profissionais fossem devidamente valorizados nesse mercado, já que se trata de um ramo de varejo que exige mais do que responsáveis técnicos.

O varejo farmacêutico é muito diferente de outros ramos de atividade, pois tem especificidades que exigem conhecimentos aprofundados para garantir sucesso. Mesmo sabendo que a farmácia é um estabelecimento de saúde, é impossível desconsiderar que se trata de um negócio e, como todo e qualquer negócio, precisa de pessoas com visão macro de seus processos.

Nesse contexto, os estudantes de Farmácia precisam complementar a formação da faculdade com especializações em gestão de empresas, marketing e gestão de pessoas, pois a posição que esse profissional ocupa dentro do ponto de venda o obriga a assumir papéis de maior relevância no dia a dia da farmácia.

No campo do empreendedorismo, o farmacêutico que desejar abrir o seu próprio negócio deve investir em conhecimentos de Administração Farmacêutica. Do contrário, encontrará dificuldades para realizar seus propósitos.

Em suma, o estudante de Farmácia pode esperar um mercado cada vez mais exigente e que só absorverá profissionais com capacidade de atuar em várias frentes. Da mesma forma, o mercado deverá exigir farmacêuticos com visão macro de varejo farmacêutico.

O novo farmacêutico tem que somar os conhecimentos da Farmacologia com a gestão desse mercado. Essa é uma sinergia que dá certo e valoriza os profissionais. O mercado agradece e os profissionais são recompensados.

Cadri Awad é Diretor de Cursos do Instituto Bulla, Farmacêutico com Habilitação em Farmácia Industrial, MBA em Gestão Avançada de Varejo Farmacêutico e cursando MBA Executivo em Liderança e Gestão Empresarial. Viajando por todo o Brasil, Cadri já qualificou mais de 5000 empresários de Pequenas e Médias Drogarias para a aplicação da metodologia avançada de Gestão Farma.

1 Comment to Me formei, e agora?

Gostou? Deixe seu comentário aqui.